A economia de “Banished”

Se você gosta de games então provavelmente já deve ter jogado algum jogo de estratégia em tempo real. Existem dezenas de jogos nesse estilo, onde em geral você gerencia uma nação e precisa “prosperar” ou mesmo “sobreviver” dentro de determinado contexto. Alguns desses games possuem uma narrativa que colocam o jogador em diferentes partes do tempo: da pré-história à um futuro distante; alguns recriam episódios legítimos que de fato aconteceram, ou mesmo oferecem a oportunidade de mudar a história original; alguns focam em estratégias militares, enquanto outros têm particular interesse pela construção civil; já outros se desenrolam num mundo de fantasia, com criaturas com super poderes, elementos mitológicos, seres vindos do espaço, entre muitas outras narrativas.

banished_1

Um game em particular que está fazendo relativo sucesso dentro desse meio e que é interessante para as discussões envolvendo a comunidade EBR (Economia Baseada em Recursos) é o jogo Banished, lançado em fevereiro de 2014 pela Shining Rock Software.

O contexto é bastante simples: você controla um grupo de viajantes que decidem reiniciar suas vidas em uma nova terra. Eles possuem apenas algumas roupas e pouquíssimos suplementos para iniciar essa jornada.
O objetivo do jogo é simplesmente manter a população viva e transforma-lá numa cultura de sucesso. As opções para alimentar as pessoas incluem caça e coleta de alimentos, agricultura, troca e pesca. No entanto, práticas sustentáveis para sobrevivência devem ser consideras à longo prazo, e isso é um grande diferencial de Banished.

banished_2

Sobrevivência

Sobreviver aos invernos é um dos maiores desafios desse jogo. Os seus alfaiates podem fazer roupas, algumas pessoas podem construir casas e queimar lenha. Mas tudo isso tem um preço – cortar florestas reduz a população de veados que você pode caçar. Embora os silvicultores possam plantar novas árvores, a cura de muitas doenças só podem ser encontradas em flores que existem há décadas.

Cultivar por muitas estações num mesmo lugar pode arruinar o solo. Pescar mais rápido do que os peixes possam se reproduzir pode levar à extinção e, em consequência, à fome na sua população.

Nômades podem juntar-se a sua cidade e fazer crescer a população de forma rápida, mas isso também aumenta a chance de doenças de terras distantes.

Sobre o Gameplay

Os habitantes da cidade de Banished são o seu principal recurso. Eles nascem, crescem, trabalham, têm os seus próprios filhos e acabam por morrer. Mantê-los saudáveis, felizes e bem alimentados são deveres essenciais para fazer sua cidade crescer. A construção de novas casas não é suficiente – deve haver um número suficiente de pessoas para que novas famílias se formem.

Não existe dinheiro em Banished. Em vez disso, seus recursos coletados podem ser utilizados como troca por outros bens com barqueiros que de tempos em tempos visitam a cidade. Esse é o único tipo de “comércio” que existe no jogo.

Há vinte profissões diferentes que as pessoas na cidade podem realizar, dentre elas: agricultura, caça, ferraria, mineração, ensino e cura. Nenhuma estratégia única terá sucesso para cada cidade. Dependendo do mapa, algumas fontes podem ser limitadas (menos árvores, menos pedras ou menos ferro, por exemplo).

O jogo proporciona experiências muito interessantes ao jogador. Em certos momentos você se sente inclinado à tentar aumentar a sua área de abrangência, mas sabe que se não fizer isso direito e não levar em conta a capacidade da sua população de lidar com essa expansão, você pode colocar tudo a perder. As vezes pode até parecer que o seu jogo está indo bem, mas se você não prestar atenção em um simples detalhe, tudo pode mudar. Por exemplo, se você esgota muito rápido o seu estoque de ferro, não terá material para fazer suas ferramentas; sem ferramentas os silvicultores não poderão conseguir madeira; sem madeira você não terá lenha; e sem lenha sua população corre o risco de ser dizimada pelo frio do inverno de -14ºC.

Desenvolvimento

Um aspecto interessante de Banished é que ele foi inteiramente desenvolvido por apenas uma pessoa, que programou, criou as artes e o áudio. Luke Hodorowicz trabalhou por cerca de 10 anos com grandes plataformas de games até decidir apostar em jogos indie e trabalhar por conta própria. É um exemplo incrível de superação individual.

Conclusão

Banished é um fantástico simulador de gerenciamento de cidades que deixa explícito algumas verdades que nossa cultura insiste em ignorar, tais como:

  • banished_3As pessoas só vão dar o melhor de si quando suas necessidades mínimas de sobrevivência forem atendidas e, claro, quando estiverem saudáveis e felizes;
  • Para prosperar como civilização, temos que sempre ser eficientes tanto na maneira como resolvemos nos organizar quanto no uso ideal dos recursos disponíveis;
  • Uma cidade inteira pode ser facilmente dizimada se não nos preparamos para o pior: doenças, clima, fome e frio podem afetar à todos de uma hora pra outra se não tomarmos as medidas de prevenção necessárias.
  • Você pode tomar decisões mais sensatas de distribuição de bens quando consegue ter uma visão geral de todos recursos de sua economia e quando de fato entende os mecanismos envolvidos.

Ao jogar Banished, é muito fácil perceber uma correlação desse jogo com a vida real e também com aquilo que o MZ descreve como um Modelo de Economia Baseada em Recursos. Uma vasta quantidade de informações e gráficos estão disponíveis e que são cruciais para a correta tomada de decisões no jogo. Todos os habitantes trabalham em prol da prosperidade da comunidade onde vivem e não existe nenhuma forma de disputa entre eles. Se algum indivíduo da população começa a apresentar sintomas de que algo está errado é bem provável que mais pessoas logo comecem a  apresentar o mesmo se alguma ação não for tomada para corrigir esse problema.

Por fim, por mais complexo que o gerenciamento de cidades em Banished possa inicialmente parecer, o jogo é relativamente simples de aprender e jogar. Existem diversos tutoriais no Youtube mostrando as mais diferentes maneiras de jogar esse jogo. Vale muito a pena pra quem gosta desse estilo.

You may also like...

5 Responses

  1. RENAN disse:

    Esse game parece ser muito legal, mas estou tendo dificuldades com as profissões das pessoas…. então… o que tenho de fazer para formar os trabalhadores?

  2. Bruno disse:

    É um jogo desafiador porque você tem que prever problemas que podem acontecer, caso aconteça mesmo que você tenha uma reação imediata ao problema, a resposta é muito lenta. Eu estava com um estoque enorme de alimento porém ocupa muito espaço nos armazéns, eu não poderia expandir porque o meu estoque de lenha estava baixo. Eu não consegui aumentar o meu estoque de lenha devido a outras demandas e em um inverno mais rigoroso a produção fica muito lenta por causa desse problema do frio e passavam os anos, apesar de investimentos em lenha, nunca era suficiente para atender a população.

  3. Daniel disse:

    esse tipo de jogo eh bem legal, ja havia pensando nisso, um jogo desse tipo sobre EBR. Seria legal que tivesse pessoas do MZ que pudessem fazer um jogo propaganda.

  4. Alex disse:

    Joguinho é LOKO!
    Já estou com 150 mil habitantes…e aos trancos e barrancos,…ainda na LUTA.
    ;)

  5. sodre disse:

    jogo muito foda , vale muito a pena

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>