“Conspirações” e o sistema socioeconômico

dominação mundialEm tempos de ataques de falsa bandeira, guerras por dominação geopolítica, sistema de vigilância global, concentração acentuada de poder e recursos nas mãos de uma pequena minoria e de cultura em declínio, teorias conspiratórias de dominação mundial, ao estilo Nova Ordem Mundial e afins, podem parecer fazer algum sentido. Mas será que realmente existe um pequeno grupo específico de pessoas malévolas por natureza, executando planos meticulosos para dominarem o mundo, ou trata-se apenas do resultado natural de um sistema socioeconômico que cria um ambiente competitivo e corrupto, que leva as pessoas a colocarem em prática o lema “lucro e poder a qualquer custo”?

A escassez e o sistema monetário advindo dela, que culminou no capitalismo moderno, tem colocado a humanidade em níveis cada vez maiores de competição e acumulação de recursos, de tal forma que instituições e grupos economicamente poderosos formaram-se como consequência da acumulação de poder ilimitado, ao longo de toda a história. Tais grupos buscam a todo custo se perpetuarem, mesmo que para isto precisem fazer qualquer coisa, desde unirem-se ou atacarem-se, até mesmo matarem e destruírem conforme aquilo que lhes for conveniente.

Dentro do sistema de livre mercado o modo de operar é perseguir o lucro, pois o dinheiro e a sua acumulação é aquilo que dá poder aos indivíduos e aos grupos e o que os garante permanecerem onde estão. Seres humanos doentes, dominados pelo vício em dinheiro, poder e status, em decorrência também dos estímulos do ambiente competitivo e consumista da própria sociedade capitalista, acabam por relativizar tudo em nome da obtenção do lucro e daquilo que advém dele. Sendo assim, matar milhares de pessoas em guerras por recursos naturais e para lucrar bilhões com venda de armamentos, ou mesmo promover a sexualização precoce de crianças e adolescentes por meio de um marketing agressivo, somente para potencializar os lucros, tornam-se coisas normais, apenas negócios.

O comportamento humano é profundamente influenciado pelo ambiente ao qual estamos expostos. Estimulemos um ambiente social com valores competitivos e o resultado será isto que temos hoje: a tendência ao desequilíbrio e dominação. Estimulemos um ambiente social com valores cooperativos e o resultado será a tendência à harmonia e sustentabilidade. O próprio sistema econômico atual facilita a ascensão social de pessoas frias e com pouca empatia. Pesquisas demonstram que diretores de grandes empresas são as profissões que mais reúnem pessoas com tendências psicopatas. Não é coincidência o mundo ser dirigido por psicopatas sádicos dispostos a qualquer coisa, já que são eles os principais beneficiados pelo sistema capitalista em que vivemos, pois possuem as características ideais para se dar bem neste ambiente onde comportamentos socialmente sustentáveis como altruísmo e solidariedade não são recompensados. Isto promove um mecanismo de seleção interno, onde os maiores psicopatas/sociopatas da sociedade serão os que conseguirão maior poder e prestígio dentro da pirâmide social.

briga dinheiroOs agentes humanos por trás dos poderosos grupos e instituições não são um grupo coeso e não possuem por objetivo final dominar o mundo para a instauração de um governo mundial, onde se tornarão imperadores do mundo. São seres humanos doentes, frutos de um sistema socioeconômico caótico que os vê como vencedores e líderes. O objetivo perseguido por eles é lucrar e permanecerem na posição de sempre continuarem lucrando e desfrutando do poder que isto lhes confere. Se para isto precisarem formar alianças ou guerrearem entre si, espionar, dominar e manipular por meio de diversos recursos à sua disposição, é o que farão.

“Este artigo não expressa necessariamente uma opinião do MZ, mas de seu autor.
O mérito está na contribuição para a discussão da linha de pensamento defendida pelo movimento.”

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>