O Jogo Monetário e Além – TVP Magazine (Parte 11)

utor: Tio | Editor: Ray

Tradução e Revisão por membros do Time Linguístico:

Tradução: Daniel Kniss, Lucas Brilhante e Rodrigo Fanhoni;
Revisão: Graciela Kunrath Lima, Luiza Nora e Paloma Rangel;                                                                                                           Imagens: Luiza Nora e Sara Elen.

Esse artigo foi traduzido a partir do original em inglês “The Money Game and Beyond”, publicado na TVP Magazine, disponível aqui.  A tradução dos artigos desse ebook serão divulgados aqui no MZ Blog numa série de publicações. Esta é a Parte 11.  As partes já publicadas podem ser acessadas abaixo:

A – Movimentação de Coisas e Pessoas: Partes 1 a 7

B – Sistemas de Organização de Sociedades:

Parte 8: Introdução

Parte 9: Na Terra e na prática

Parte 10: Todas as tribos são uma mistura de ideais

C – Além do Jogo: Partes a definir

———————————————————————

Sistemas de Organização de Sociedades

Vamos agora deixar para trás o mundo do capitalismo e do livre mercado *, como já apresentamos uma abundância de seus efeitos nocivos várias vezes ao longo desta série. Quer dizer, se as pessoas estão dispostas a saltar intencionalmente na frente de carros em algumas tribos ( vídeo ), porque elas podem obter dinheiro se elas derem a “sorte” de serem atropeladas, então o que mais há a dizer sobre o mundo torcido e doente em que nós vivemos?!?

Uma coisa que gostaria que você tirasse de tudo isso é que, quando as tribos se proclamam como isso ou aquilo, eles não são nem isso ou aquilo.  Todos elas se qualificam como uma salada, uma mistura de isso, aquilo e aquilo outro.

É por isso que, em 2008, a crise de crédito nos EUA levou a Espanha ao desemprego de 30%, e um surto de gripe aviária na China aumentou dramaticamente o preço do frango no Canadá.  Eles estão todos conectados e são basicamente os mesmos, diferindo apenas nos detalhes de suas regras baseadas em dinheiro e noções/rituais.

2017-07-19

Quanto à democracia… Bem, nós também fizemos um artigo sobre, mas pensando nisso por um minuto, se fosse realmente o “povo” que determinasse o que eles querem, então copyright on-line provavelmente não existiria, como a grande maioria das pessoas infringem essas leis sem pensar muito.  Tribos provavelmente não começariam guerras, porque a maioria das pessoas não querem isso.  Salários aumentariam, o tempo de trabalho seria reduzido, a prostituição e as drogas seriam legalizadas, alguns “líderes” poderiam realmente ser executados, como muitos parecem proclamar este desejo e assim por diante.  É claro que não existe tal coisa como a democracia e mesmo se a noção soa bem em princípio, não é, porque essa diz que tudo o que a maioria quer, deverá ser feito.  Se 51% das pessoas querem todas as pessoas de uma determinada cor, religião, nacionalidade, etc. sejam mandadas para a prisão ou o qualquer coisa do tipo, então realizar esse desejo se qualifica como democracia.  Se a ciência fosse gerida como uma democracia, nós ainda viveríamos em cavernas e não haveria ciência.  Além disso, como todos os outros ideais que nos regem, mencionados no âmbito deste artigo, a democracia é sempre mesclada com outros conceitos, o que torna aquilo que foi originalmente proposto (e ainda reivindicado) quase irrelevante.

VIDEO: políticas inúteis da América:

As soluções apresentadas no final deste vídeo são, como já detalhado até agora nesta série, apenas uma tentativa remendar os sintomas.

ENTÃO, PARA TODAS VOCÊS PODEROSAS TRIBOS FEIAS, PAREM DE FINGIR SEREM NOVAS E OUSADAS E VÃO BUSCAR ALTERNATIVAS PARA ALÉM DISSO.

Enquanto Owen, Marx, Engels e outros como eles tentaram formular um conjunto de idéias ousadas sobre a organização de sociedades com algo diferente do que os métodos com fins lucrativos capitalistas, eles não conseguiram fornecer um caminho claro.  Eles também não tinham o conhecimento ou tecnologia que temos disponível hoje, por isso vamos voltar a essas idéias centrais mais tarde nesta série, quando nós mostrarmos como o Projeto Venus é diferente de qualquer um desses ‘ideais’, e como ele é, na verdade, anos-luz à frente deles.  Também vamos explicar melhor a proposta do Projeto Venus para uma abordagem baseada em recursos, onde todos os recursos tornam-se patrimônio comum de todos os povos do mundo, juntamente com uma quebra de metodologias sobre como a tecnologia pode se organizar para criar um alto padrão de vida para todos.

 2017-07-19 (2)

Cara mais velho: Garoto, você está certo! É difícil saber o que devemos escolher, mas devemos primeiro olhar para outras idéias antes que possamos decidir.  Certo?  Este é um assunto muito complicado. Afinal de contas, estamos tentando organizar bilhões de marcianos aqui; muitas cabeças com muitos cérebros diferentes (personalidades) que possuem muitas idéias diferentes.  A tecnologia está sempre evoluindo e nós não só devemos tentar mantermos em sintonia com as mudanças que isso trás, mas também ser capaz de implementar plenamente e apoiar tais mudanças.  Sabendo como os seres humanos têm tentado organizar suas sociedades até agora, podemos entender melhor o que funcionou, o que não funcionou, e por quê.  Então, tente ser paciente.

Criança: Ok, eu concordo. Estou muito curioso sobre as outras idéias e eu entendo porque é importante aprender sobre todas elas antes de decidir.

2017-07-19 (3)

Cara mais velho: Ei Socialismo, Comunismo, Feudalismo, Capitalismo, Totalitarismo, e até mesmo você Democracia, entendemos que todos vocês, ou pelo menos alguns de vocês, são honestos e verdadeiramente desejam fornecer o que acham que são maneiras sensatas para nos organizar, mas vamos olhar algumas idéias mais recentes, as que surgiram a partir de nossos atuais avanços científicos e tecnológicos. Ouvi dizer que as irmãs Economia de Compartilhamento e a Economia de Oferta chegaram recentemente a Marte para apresentar as suas idéias.  Bitcoin, UBI, Tecnocracia, Open Source, e mais estão a caminho também, por isso queremos aprender com eles também.  Aprendemos também que um “rapaz especial” é esperado para chegar a Marte depois, e nós ouvimos dizer que ele tem o plano mais compreensivo, detalhado e atualizado para nós nos organizarmos.  Então vamos esperar para ver, mas muito obrigado pelos seus esforços.  Eu acredito que sem alguns de vocês, não teríamos chegado tão longe.  Mas eu também tenho que reconhecer que por causa de alguns de vocês muito mais sofreram, morreram e/ou viveram de forma miserávelmente simples e insatisfatória na Terra de forma desnecessária e não estamos exatamente felizes com a idéia de continuar isso aqui …

IMG-20170527-WA0017

Cara mais velho: Ok meus colegas marcianos, agora que nossos primeiros hóspedes estão em seu caminho de volta para a Terra, vamos ver o que o segundo grupo, os últimos convidados irão propor para organizar nossa sociedade marciana.  Temos pouco tempo a perder, já que temos que fazer as coisas andarem aqui em Marte e continuar com nossas novas vidas, então vamos trazê-los.

2017-07-19 (4)TECNOCRACIA : Olá marcianos. Longa viagem até aqui.  Fico feliz em ver todos vocês.  Vamos ao que interessa.

Estou ciente daqueles que estavam aqui antes, mas eu acredito que eles dão muito pouca atenção à tecnologia e como ela é importante.  Afinal de contas, todos nós chegamos aqui em um foguete.

A minha proposta é semelhante ao que o comunismo propôs (de certa forma); para eliminar o dinheiro e todas as métricas “econômicas” de competências e produtos, substituindo tudo isso com pessoas altamente técnicas que possam tomar as decisões mais inteligentes para todos.  O que quero dizer é o seguinte: as pessoas não elegem quem vai realizar as cirurgias cardíacas.  Tais decisões são tomadas, de acordo com competências das pessoas.  Se uma pessoa se torna hábil o suficiente passando pelo processo de escolarização/formação, em seguida ele/ela será um cirurgião.  Então, quem vai decidir o sistema de transporte que devemos usar?  Um engenheiro de transito que é altamente educado nessa área.  Como educar as crianças?   Psicólogos altamente treinados e talvez sociólogos.  O mesmo vale para a construção, engenheiros, o cultivo de alimentos, químicos, chefs, e assim por diante.

A sociedade que proponho não deve eleger líderes como em uma democracia, mas em vez disso as pessoas qualificadas devem ser as únicas que decidem sobre cada parcela das necessidades da sociedade.  Muita funções, todas baseadas em habilidades técnicas.  Nós precisamos usar o método científico para resolver problemas sociais, porque cada problema possui uma mecânica própria.  Isso vale para tudo, inclusive para as sociedades humanas.  É apenas uma questão de compreender os mecanismos de trabalho, chegando as decisões adequadas.  Mas um controle democrático para todas as questões não-técnicas e as decisões ainda devem ser autorizadas, é claro.

Primeiro precisamos realizar um levantamento de todos os recursos disponíveis dentro de uma determinada área, para certificar de que se pode sustentar o nível de produção e distribuição que vamos precisar.  Falando nisso, a fim de criar um inventário dos recursos, energia e o que as pessoas consomem, proponho medir tudo e transformar em unidades de energia.  Assim, por exemplo, um certo tipo de aparelho requer uma quantidade específica de energia para produzir (desde a mineração até refinamento, produção e distribuição), de modo que isso deve ditar o preço para esse aparelho.  Assim, a energia do preço do aparelho reflete toda a energia que entrou na produção e distribuição desse dispositivo, a partir de matérias-primas até o produto final.

Agora você pode estar se perguntando se isso não é justamente um novo tipo de capitalismo ou sistema monetário?  não é!.  Em primeiro lugar, esta é uma medida direta de recursos (não uma abstração como o dinheiro). Em segundo lugar é uma maneira de distribuirmos e usarmos esses certificados energéticos.  Damos a mesma quantidade de certificados a todos (preto, branco, baixo, alto, do sexo feminino ou masculino) e são válidos apenas para uso pessoal do indivíduo, de modo que não pode ser compartilhada com mais ninguém (estes créditos de energia são reciclados depois de um período de tempo, de modo que não podem ser acumulados).  Desta forma, você não pode subornar, apostar, corromper e assim por diante.  Todos os serviços públicos (tais como transporte local, sistema de saúde, habitação, educação e nossa infra-estrutura e manutenção) será fornecido gratuitamente, sem qualquer despesa pessoal das unidades de energia.  As unidades de energia pessoais de um indivíduo seria usada para comida, objetos pessoais e de entretenimento, desenvolvimento criativo e de expressão.

E, muito importante, propomos a criação de uma abundância de bens e serviços e assim estes certificados de energia serão principalmente para observar os recursos que as pessoas compram, para saber o que produzir, mas não para limitar o que as pessoas podem fazer, porque eles vão ter o suficiente desses créditos de energia para acessar praticamente qualquer coisa que quiserem.  Dito isto, esperamos que o crime será cortado por um grau enorme, uma vez que as pessoas vão ter acesso ao que eles querem, como não há uma natureza humana.  É o comportamento humano e este comportamento reflete o ambiente de cada experiência humana.  As pessoas se tornarão mais gentis umas com as outas, terão mais tempo livre para perseguir seus esforços criativos e muito mais.

Nosso objetivo é produzir produtos da mais alta qualidade possível, com foco na produção para o uso, não produção para o lucro!  Agimos como um braço tecnológico do povo: nós não ditamos a vida das pessoas, mas construimos aquilo que as pessoas precisam.

Então, cientistas ao invés de políticos, habilidades técnicas ao invés de voto e democracia, teremos certificados de energia atuando como uma medida para os nossos ‘gastos’.  Tudo isso deve se fundir a uma abundância de bens e serviços, encapsulado em um sistema auto-sustentável, onde medimos os recursos e a energia de modo a não exceder o que nós temos disponível.

2017-07-19 (5)

ECONOMIA de COMPARTILHAMENTO e de OFERTA: Você fala sobre medições de energia, mas hoje temos a tecnologia para criar uma abundância de energias renováveis, onde o custo de produzir algo seria próximo de zero: custo marginal zero de produção. Então eu acredito que nós não precisamos mais de coisas como certificados de energia.  Além disso, da mesma forma, poderíamos ter uma abundância de produção que eu acredito que é muito melhor compartilhada, e não através de um grupo científico de elite centralizado, mas descentralizada: onde cada indivíduo se torna um prosumidor (produtor e consumidor).  E não por dinheiro ou créditos de energia, uma vez que sempre que houver abundância, não existe a necessidade de moeda.  As pessoas vão produzir e compartilhar (e mais consumindo o que os outros produzem) de graça.  Essa é a idéia básica!

descentralized 6ADESCENTRALIZADO: É disso que eu to falando! Se você centralizar a produção e distribuição, você inevitavelmente vai acabar como o Fascismo, Totalitarismo ou Autoritarismo, e não por causa de más intenções ou projetos ruins, mas porque você estaria permitindo o poder de se tornar centralizado e, eventualmente, controlado por algumas “elites”.

TECNOCRACIA: Bobagem! Nenhuma pessoa ou grupo de pessoas pode assumir o controle de uma sociedade altamente tecnológica!   Nós queremos educar as pessoas para serem engenheiros/cientistas, para serem capazes de se envolver no gerenciamento de várias partes da sociedade.  As pessoas serão educadas até os seus 25 anos de idade e assim poderão até trabalhar até 45, quando eles poderão se aposentar com todos os benefícios da sociedade tecnocrata gratuitamente. Mesmo se alguém se recusar a participar, ele/ela ainda terá acesso a tudo o que nós oferecemos.  Mas eu tenho que mencionar que se você aplicar o meu sistema, eu recomendo que você aceite somente os seus próprios cidadãos para serem parte dele.  Evite a entrada de pessoas de outras regiões até que se atinja a ‘forma desejada’.  A proteção militar será necessária até que todas as regiões circundantes também se tornem tecnocráticas.2017-07-19 (6)

OPEN-SOURCE: Oh cara, lá vamos nós de novo … Separando-se dos outros, arriscando elitismo com um plano centralizado, tendo regras sobre a forma como as pessoas podem trabalhar e dentro de que idades … Eu realmente esperava que você estivesse pensando de forma mais liberal sobre esta TECNOCRACIA, e não venha novamente com planos de cima para baixo sobre a forma como a sociedade deve ser estruturada, porque esse foi o erro cometido por todos os sistemas discutidos anteriormente.

Aqui está o que eu proponho para nos livrar de todos esse ideais piramidais e nos certificar de que ninguém se tornaria um ‘ditador’, ou que o progresso ficaria estagnado: a proposta é que a fonte de todos os trabalhos e invenções seja aberto, totalmente partilhado por toda a sociedade.  Isso é tudo o que precisamos para progredir; essa é a única regra.  Então, se você começar com um projeto para uma casa (planta) e abrir o projeto para que todos possam construir a sua própria casa, então eles podem construir em cima de seu projeto original sem perder tempo e esforço criando seu próprio projeto a partir do zero.  Essa abordagem reduz significativamente a quantidade de trabalho investido, como eles usam um projeto já existente que pode ser melhorado, modificado, ou de qualquer outra forma ajustado como bem entenderem.  Ao permitir este tipo de cópia, sem restrições, você incentiva os outros a abrir as suas próprias idéias para novos projetos, designs, código-fonte para software e para aqueles que se esforçam para melhorar em cima destes, compartilhar suas melhorias.  Estou falando de atualizações incrementais contínuas e rápidas estimuladas por esta idéia.

Imagine alguém que toma um projeto open-source para uma casa e adiciona um novo tipo de modelo de painel solar a este, tornando-o mais eficiente e, em seguida, este alguém abre a fonte nova do projeto como o primeiro o fez.  Agora nós temos um projeto de código aberto (open-source) para esse tipo de casa.  E as atualizações virão ao longo do caminho de todas as pessoas ao redor de Marte, sem limites, sem ninguém “em controle”.  Você consegue ver?  Ninguém pode controlar isso, desde que você fez essa informação para construir a casa disponível para todos.  Você vai criar uma enorme comunidade de criadores, inovadores e ‘melhoradores’, ao mesmo tempo fazendo com que a cooperação seja a “força” por trás sociedade.

IMG-20170531-WA0003A mesma coisa se aplica para tudo: software que pode ser melhorado e transformado em muitas variedades para atender à diferente necessidades (novas interfaces, propósitos, compatibilidades com hardware); blueprints para ferramentas que podem ser utilizadas ​​por qualquer pessoa para qualquer propósito; hardware que qualquer um pode melhorar e usar (fazer o seu próprio smartphone a partir de idéias e design de outras pessoas).  impressoras 3D já trabalham desta forma, onde as pessoas de todo o mundo compartilham seus projetos e melhorias, assim qualquer pessoa pode fazer modelos 3D desses projetos, utilizando a sua própria impressora que foi “impressa” por outra impressora, todos open-source.  É todo o conhecimento acumulado de todas as pessoas, disponível de e para todas as pessoas.

Então, eu concordo com DESCENTRALIZADOIMG-20170531-WA0002, mas eu adicionaria a regra de código aberto na mistura para torná-lo viável.

ECONOMIA DE COMPARTILHAMENTO E OFERTA: Não poderíamos ficar mais felizes OPEN-SOURCE! Isto irá acelerar o compartilhamento de coisas entre as pessoas e melhorar a cooperação.

TECNOCRACIA: Como você pode ter certeza que as pessoas sabem como fazer essas coisas?Eles são especialistas?  E sobre grandes projetos como barragens, transporte, gestão de recursos de Marte, fazendo ciência !?

OPEN-SOURCE: Bom ponto TECNOCRACIA! A ideia de código aberto é realmente a base da ciência.  Aceita-se na ciência que se você realiza um experimento e apresenta uma hipótese, você tem que fazer todas as suas observações e detalhes em aberto para a comunidade científica, ou então ninguém vai considerar a sua experiência como válida, uma vez que são necessárias todas as peças de sua pesquisa para testar e verificar a sua teoria. A ciência já tem como base esta metodologia de código aberto.  Proponho torná-la popular e aplicá-la a tudo.  Ao contrário da ciência, onde é crucial apresentar o seu trabalho para a revisão por seus pares, em outros domínios, como exemplo a produção de material (brinquedos, aparelhos, receitas, e assim por diante) não deveríamos “forçar” as pessoas a abrir seu trabalho, já que provavelmente eles o farão uma vez que reconhecerem o valor recebido ao ser capaz de usar os esforços de outras pessoas.  E, a propósito, espero que esta forma de cooperação e transparência faça com que esses estudos científicos open-source tornem-se completamente abertos; não apenas abertos a outros grupos de ciência, mas abertos a todo o público.

Você vê, esta abordagem de não forçar ninguém a abrir a fonte de seu trabalho será um processo emergente.  É tão bom porque as pessoas são verdadeiramente livres para fazer o que quiserem com esses pedaços de trabalho de código aberto, e eles o farão, como as pessoas da Terra já estão mostrando com todos os tipos de projetos de código aberto no momento. Imagine fazer todas as patentes, invenções e idéias na Terra completamente livres agora mesmo, onde, em seguida, poderia se dizer a todos no planeta: “Você pode fazer o que quiser com estas idéias – vendê-las, inventar mais e compartilhar, melhorar um pouco e mantê-las privadas, etc .  Faça o que quiser, a decisão é sua! “  Você vai ver rapidamente muitas delas melhorando, inventando mais e então compartilhando tudo isso, principalmente de graça, como a Terra tem demonstrado, há muito mais pessoas que preferem assumir uma divisão de comportamentos e não o contrário.  Aqueles que optarem por não compartilhar suas melhorias se tornariam automaticamente irrelevantes para a procissão de avanços contínuos.  Entende?   Nada disso está relacionado de forma alguma a sua religião, sexo, gênero, idade, credencial, nacionalidade, etc.  Você só fornece ferramentas para todos e veja-os crescer.

TECNOCRACIA: As pontes, estradas, gestão de recursos e todos esses projetos OPEN-SOURCE … ..como eles são construídos e geridos utilizando o seu método?

OPEN-SOURCE: Ah, certo.Bem, eu só estou falando sobre o método de fazer tudo aberto, não como a sociedade deve gerenciar tais projetos ou o que eles devem construir.  Não vejo nenhuma diferença entre o que você propõe quando se trata de tais grandes projetos (especialistas chegando a decisões) e o que eu proponho, EXCETO que eu encorajo tais projetos a serem abertos ao público.  Então, se um grupo de engenheiros construir uma ponte, seu trabalho é open-source para melhorias futuras.  Quando alguns outros engenheiros precisarem construir uma ponte em outra parte do mundo, eles serão capazes de basear o projeto em um anterior para acelerar o trabalho e aperfeiçoá-lo.  Além disso, se um grupo ‘mau’ de engenheiros decidir tentar espionar uma população por qualquer motivo (ou tentar prejudicar de qualquer forma com tecnologia), qualquer um poderá ver quando esta é open-source.

Como essa noção de open-source fica na cabeça das pessoas, projetos de código fechado se tornarão cada vez mais impopulares e forçará grandes projetos a abrir seus blueprints/trabalho.  Imagine dizer às pessoas que elas não estão autorizadas a fotografar uma montanha ou algum outro lugar na natureza, porque esta não é “aberta” para isso, é “privada”.  Isso seria muito estranho e inaceitável para a maioria das pessoas.   Eu vejo a mesma coisa acontecendo gradualmente com projetos de código fechado, quando as pessoas descobrem a blueprint (planta) de uma invenção, ou um código de software, ou qualquer tipo de trabalho (receita, vídeo, fotografia, etc.) não está sendo compartilhado com o resto do mundo de graça.

E quando se trata de especialistas … muitas pessoas hoje na Terra fazem todos os tipos de projetos importantes e enormes neste estilo open-source e não são especialistas nesses campos.

2017-07-19 (8)Criança: Museu de História Virtual?

Cara mais velho: Sim, e pela última vez.

Cara mais velho: O que é interessante neste momento, é que essas pessoas estão se concentrando em torno de ciência e tecnologia.Na Terra de cerca do ano de 1900 em diante, a mudança foi em relação a estes domínios científicos e tecnológicos, devido ao seu rápido crescimento e desenvolvimento.  Mas essas pessoas tinham diferentes abordagens.  Em primeiro lugar, Tecnocracia, prevê um modo mais rígido e centralizado de organização da sociedade em torno de ciência e tecnologia, enquanto os outros (open-source, descentralizado e economia de compartilhamento e oferta) acreditam que funcionaria melhor com a descentralização completa da tecnologia e da investigação científica, uma integração mais caótica deles com base em algumas regras que irão exponencialmente desencadear um grande progresso e estabilidade.2017-07-19 (9)

Vamos começar com a tecnocracia.

O movimento da tecnocracia foi iniciado nos Estados Unidos por volta de 1919 por um grupo de cientistas impressionados com os resultados da mobilização de recursos e de produção durante a Primeira Guerra Mundial.  Essa tornou-se mais visível durante a Grande Depressão americana em 1930, depois que o sistema monetário entrou em colapso e o movimento da tecnocracia propôs uma substituição ousada dos políticos pelo seu sistema de engenheiros e cientistas.  O plano deles era específico para as tribos da América do Norte (EUA, Canadá e México), ao invés de todo o planeta.  Eles realizaram um levantamento de energia e recursos naturais da América do Norte e estudaram a correspondente evolução industrial que se desenrolou no período pós-Primeira Guerra Mundial.  O objetivo do grupo era projetar um novo sistema de produção e distribuição para a América do Norte que iria proporcionar um melhor padão de qualidade de vida para as pessoas, enquanto conservando os recursos não-renováveis, garantindo “uma economia de abundancia”.

Criança: Espere um pouco. América do Norte?

Cara mais velho: Sim … essa é uma região na Terra.Eles disseram que estavam escolhendo somente este local, porque era o único capaz de alcançar esta abundância através da tecnologia.  E portanto, o poder militar era uma obrigação para protegê-los do resto do mundo.  Mas eles planejaram que uma vez que este sistema estivesse no lugar e funcionando, eles gratuitamente ajudariam as outras nações a alcançar este mesmo objetivo.

Criança: Eu prevejo problemas com esta abordagem de separar-se do resto …

Cara mais velho: Realmente. Mas os tecnocratas foram um dos primeiros a mostrar em detalhe como a tecnologia está substituindo empregos humanos e criando desemprego, e como a escassez artificial é mantida para sustentar o sistema de preços/jogo monetário funcionando.  Por exemplo, nesta edição da revista de 1937 mostra, dentre muitos outros exemplos, que muitos cidadãos da tribo deles estavam morrendo por causa da poluição da água devido a má instalação e manutenção dos sistemas de canalização enquanto a causa e remédios eram muito bem conhecidos, mas não era rentável dentro do jogo monetário. Portanto, não era uma prioridade para tal situação ser resolvida.Os tecnocratas disseram que no mundo que eless visualizavam, tais situações seria abordadas sem interferência de quaisquer interesses, mas em vez disso, com foco direto sobre o bem-estar dos cidadãos.  Em suas publicações naquela época, eles apresentaram em ‘abundância’ de detalhes, como a tecnologia daquele tempo poderia trabalhar a favor desse tal sistema, ao mesmo tempo detalhando os problemas inerentes ao mundo do lucro ( fonte ).

Eles ainda propuseram que calendário anual da Terra deveria ser alterado para um sistema simples de 1 a 365 dias de numeração, em vez de ser como ele está atualmente dividido em semanas e meses.  Eles imaginaram um mundo onde a carga de trabalho é reduzida para apenas quatro horas por dia e que a classe trabalhadora deveria “realizar” trabalhos apenas entre as idades de 25-45 anos.( fonte , fonte ).

Eles também disseram que eles não estavam tentando derrubar qualquer governo, como eles representavam um movimento educacional sem fins lucrativos e caberia às pessoas trazer a mudança.

Assim, isto inclui segurança econômica se você é um cidadão da nação; cuidados de saúde garantidos para todos; cientistas ao invés de políticos; só os cidadãos da nação poderiam viver e trabalhar sob este sistema; todas as pessoas (independentemente da cor) podem ser membros da tecnocracia, exceto as de postura política; uso de certificados de energia como uma média de rastreamento de utilização de recursos; remoção da necessidade de um sistema de preços e a criação de abundância.

O único obstáculo é o animal humano, eles disseram, como há ciência e tecnologia suficiente para obter um mundo de abundância para todos, mas os seres humanos estão no meio caminho.  O seu comportamento é o que impede que isso aconteça, mas seu comportamento é o resultado de seu ambiente.  Eles disseram: “Não se abole ou se impede uma guerra com discursos pacifistas, ou nem mesmo por outros meios, enquanto o comércio exterior e a fabricação de armas de guerra continuam a ser rentáveis.  Nem se exterminam doenças enquanto as condições de pobreza, desnutrição e outras doenças reprodutivas continuarem inalteradas, não enquanto o bem-estar econômico da profissão médica depende da prevalência de doenças em quantidades rentáveis.  Nem o crime também jamais será abolido, quer através de medidas coercitivas administradas por funcionários cujas atividades são apenas ligeiramente (se houver diferença) menos socialmente censuráveis ​​do que aqueles que se pretende suprimir, ou por qualquer quantidade de trilhos moralistas ou inculcação de doutrinas de ‘amor fraternal’, enquanto continuar a ser oferecida uma recompensa a todos aqueles que causam “problema” ao sucesso social.  Concedida a oferta de recompensa, atividades socialmente questionáveis seguem como consequência; retire a recompensa e essas atividades desaparecem automáticamente.   É o próprio Sistema de Preços, as regras segundo as quais o jogo é jogado, e não o ser humano sozinho que é corrupto”( fonte ).

Criança: Hm … interessante.

Cara mais velho: Este grupo era basicamente algo que o comunismo imaginava, mas eles adicionaram a ciência e a tecnologia (embora não esteja dizendo que eles foram influenciados pelo comunismo).Eles eram totalmente focados em metas pragmáticas: não 100 tipos de carros, mas um que fosse realmente bom; não nas coisas sem sentido, mas o material útil; não as coisas fúteis, mas coisas que podem realmente ajudar e tornar a sua vida mais fácil.

2017-08-14Criança: Mas quem decide o que é supérfluo? Ou o que útil?  Eu não entendi isso…

Cara mais velho: Bem, nem eles, porque é praticamente impossível ter uma resposta para isso.Como exemplo, essas idéias foram apanhadas pelas tribos URSS e China mais tarde, as mesmas tribos que já tinham adotado o comunismo antes.  Mas agora, anos depois, eles tentaram implementar uma espécie de Tecnocracia também, misturada com outros interesses e o resultado final foi semelhante ao de tentar o comunismo: uma ditadura, embora muitos dos líderes das tribos fossem agora engenheiros ou outros tipos de cientistas.  Acabou que os engenheiros estavam até mesmo decidindo quantos tipos de escovas de dentes deveriam ser produzidas, e em quais cores.  Este pode ter sido o grande fracasso da tecnocracia, como você pode observar, mesmo que nunca tenha sido posta em prática da forma como foi originalmente concebida.  Esta exige um sistema rígido aplicado a uma sociedade dinâmica, mesmo se eles argumentem o contrário.  No entanto, suas propostas são muito claras que sua visão foi uma de pragmatismo, algo como “qual o sentido de fazer sapatos azuis, sapatos roxos, sapatos com um logotipo Chewbacca :), ou qualquer outro.  Façar um bom par de sapatos! “.

Como outros antes (comunismo, socialismo), seu sistema pouco definiu do que se entende por abundância, ou o que a igualdade de status significa.  Eles estavam pensando em termos de controle de natalidade para que a população não excedesse a capacidade dos seus recursos.  Eles queriam medir tudo em unidades de energia, que é bastante inimaginável o que isso significaria em um mundo dinâmico.  Eles também colocaram o poder nas mãos de engenheiros, não reconhecendo que ao fazer isso o comportamento desses engenheiros seria modificado, os transformando em ditadores, ou quão limitados eles seriam naquilo que eles poderiam fazer para a população e quais decisões eles poderiam tomar.  As sociedades do mundo são muito complexas para tentar definir e dirigir através da ciência.  Outro fator importante é que eles não tinham um plano próprio sobre como implementar tal sociedade, este apontava principalmente para as tecnologias existentes naquele período de tempo que poderiam levar a um mundo assim, mas deixando para as pessoas de alguma forma fazerem isso funcionar.

Mas a outra abordagem do uso da tecnologia é muito interessante (o que você poderá ver na parte 12 que será publicada em breve).

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>